Pompeia segue sem registro de casos de febre amarela

Departamento garante que apesar do aumento no número de casos no estado de São Paulo, não há motivo para alarde no município

12/01/2018 - 16:17 hs

O setor de Vigilância Epidemiológica do Departamento de Higiene e Saúde garante que em Pompeia não há motivo para alarde em relação à febre amarela. Apesar dos casos registrados na capital e em outras cidades do estado, em Pompeia a Saúde municipal vem fazendo o dever de casa, promovendo campanhas de orientação, arrastões em residências e trabalhos envolvendo a limpeza do município, há bastante tempo. Graças ao sucesso das ações de prevenção, até o momento, o município não registrou nenhum caso de febre amarela.
 
 “Estamos atentos a questão, dando continuidade às ações preventivas, com tranquilidade, priorizando pessoas que pretendam se deslocar para áreas de risco. Também estamos no aguardo de um reforço no número de doses da vacina que são enviadas pelo governo do Estado”, comentou Adriana Fernandes Parra, enfermeira do setor de epidemiologia.

A vacina contra febre amarela está disponível das 7h às 17 horas, em todas as Unidades de Saúde do município, conforme o calendário vacinal do estado. Quem já tomou uma dose da vacina, não precisa se vacinar novamente, pois segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS), a imunização é para toda a vida.
 
 
Não podem tomar a vacina:
 
- Grávidas e mulheres que estão amamentando crianças menores de seis meses.
 
- Doentes com câncer que fazem quimioterapia ou radioterapia.
 
- Pessoas com alergia a ovos ou derivados.
 
- Portadores de HIV ou qualquer doença que atinja o sistema imunológico.
 
- Transplantados.
 
O superintendente do DHS, Rogério Teixeira Barbosa “Pida”, também enfatiza que mesmo diante do aumento no número de casos da doença no estado de São Paulo, não há motivos para alarde em Pompeia. “A população não precisa correr. Temos vacina nos postos durante todo o ano, dando prioridade para quem vai viajar para áreas de risco, por isso, é importante que os moradores não se apavorem”, disse.
 
“Pida” destaca também a importância de serem mantidas as ações de prevenção, no que a colaboração dos moradores é fundamental. “A prevenção é a mesma realizada contra a dengue, combatendo os focos do mosquito Aedes Aegypti”, concluiu.
 
A infecção acontece quando uma pessoa que nunca tenha contraído a febre amarela ou tomado a vacina contra ela circula em áreas florestais e é picada por um mosquito infectado. Ao contrair a doença, a pessoa pode se tornar fonte de infecção para o Aedes Aegypti no meio urbano. Pompeia e outros 62 municípios pertencentes a Regional de Saúde, ainda aguardam uma nota técnica do órgão com outras orientações.