Vigilância Sanitária inicia nebulização em combate a pragas urbanas

A Vigilância Sanitária, do Departamento de Higiene e Saúde de Pompeia, começou um novo trabalho de nebulização nas redes de esgoto e ação de bloqueio nas galerias de águas pluviais

Por Ricardo Martins 22/09/2017 - 15:17 hs

A Vigilância Sanitária, do Departamento de Higiene e Saúde de Pompeia, começou nesta quinta-feira (21) um novo trabalho de nebulização nas redes de esgoto e ação de bloqueio nas galerias de águas pluviais em toda a cidade. O objetivo é eliminar a presença de insetos e animais peçonhentos como ratos e baratas.

A ação integrada também visa amenizar a situação com relação a infestação de pernilongos, considerando a grande proliferação neste período de estiagem, época ideal para a reprodução dos mosquitos já que as temperaturas estão atingindo entre 25 e 30 graus.

Pensando nisso, foi adquirido um novo inseticida usado exclusivamente como larvicida para o controle dos mosquitos transmissores e comuns. A aplicação será feita em pontos estratégicos, onde há a maior concentração de larvas do pernilongo, impedindo assim que novas reproduções aconteçam, reduzindo o problema nas imediações.

Segundo João Marcelo Destro “Shell”, diretor da Vigilância Sanitária, o combate aos pernilongos também depende de uma ação em conjunto com a população. “O pernilongo e o mosquito comum são do gênero Culex. A fêmea precisa de sangue e tem preferência pelo humano, para que assim possa maturar o ovário. A desova é semelhante à do Aedes Aegypti, em criadouros com água parada limpa ou poluída. Para evitar esta infestação, devemos manter limpas caixas de gordura ou recipientes que acumulem água suja ou parada como latas, tampas, pneus, garrafas, vasos dentre outros”, disse.

“Shell” cita ainda a procura de alguns moradores pelo setor da Vigilância com pedidos de fumacê, o que segundo critérios do Ministério da saúde, só é indicado para municípios com altos índices de caso de dengue. “Pompeia está no grupo de ‘Baixo Risco’, e tal ação pode deixar os insetos resistentes ao veneno em caso de algum surto de epidemia, resultando um efeito inverso ao esperado. Temos que tomar bastante cuidado, fora os riscos à saúde e ao meio ambiente. Por isso é dada a preferência em prevenir o surgimento do mosquito, já que o fumacê tem critérios para ser utilizado”, concluiu.

Os trabalhos foram iniciados na manhã desta quinta-feira (21) e percorrerão todos os bairros do município. Outras informações podem ser obtidas com a Vigilância Sanitária através do telefone 3405 2806.