Caso Isabelle: Polícia prende namorado da mãe

Por Redação 30/09/2017 - 10:27 hs

O crime que chocou Marília e região vem sendo investigado pela Polícia Civil de Marília, que prendeu na tarde desta sexta-feira, 29, Israel Luiz Vieira, de 22 anos, acusado de ter participação na morte da menina Isabelle Fernandes dos Santos, de apenas dois anos de idade.

Namorado da mãe a menina, Israel ajudava a cuidar da criança no dia do suposto acidente que causou sua morte. Após alguns dias internada, a menina faleceu dia no Hospital Materno Infantil (HMI).

A polícia aguarda agora o laudo necroscópico e exame anatomopatológico do cérebro da vítima. A prisão preventiva foi decretada e vale inicialmente por 30 dias.

Isabelle Fernandes dos Santos foi sepultada na sexta-feira no Cemitério da Saudade sob forte comoção.

 

Entenda o caso

De acordo com a polícia, Isabelle deu entrada no hospital com convulsões e diversos ferimentos. Uma conselheira tutelar que acompanhou o fato registou no dia um boletim de ocorrência de lesão corporal no plantão policial.

A conselheira informou no documento que por volta das 18 horas do sábado foi acionada por uma equipe do HMI com a informação de que a menina chegou com fratura no braço direito, diversos hematomas e arranhões por todo o corpo.

As primeiras notícia foram de que a garotinha havia ingerido acidentalmente remédios da mãe e caído da cama, porém, a médica que atendeu Isabelle afirmou que as lesões eram incompatíveis com a situação narrada.

Segundo o delegado Bolívar dos Santos Júnior, no depoimento inicial consta que a criança havia caído da escada acidentalmente, voltado para o apartamento sem ser socorrida, tomado o medicamentos da mãe e convulsionado. Como o rapaz demorou muito para socorrer ela agonizou sem receber qualquer cuidado dele.

“Em um primeiro momento ele mentiu, dizendo que a Isabelle havia caído da cama e a médica que atendeu o caso disse que as lesões não eram compatíveis. Assustado, ele mudou a versão e disse que a vítima havia caído da escada”.

Foi apurado pela equipe do IML que a vítima passou pelo é chamado de ‘Shaken Baby’, que é causado pelo ato de sacudir a criança de forma violenta e intencional. O cérebro não está com boa formação na caixa craniana e isso ocasiona diversas lesões.

“Israel confirmou que chacoalhou a criança mas com a intensão de reanima-la. De qualquer forma estamos trabalhando com a hipótese de homicídio qualificado, seja pela omissão ou comissão. Também não descartamos a hipótese de um homicídio culposo, sem a intenção de matar”, disse o delegado Bolívar dos Santos Júnior.



-->Médicos relataram que lesões em bebê morto são incompatíveis com queda, diz conselheira tutelar