Comunidade discute soluções para problemas antigos da Santa Casa em reunião na Câmara Municipal

Encontro enfatizou a necessidade de garantir a continuidade do pleno funcionamento da entidade por meio de planos para ações de curto, médio e longo prazos

Por Redação 20/10/2017 - 11:29 hs

Aconteceu nesta quinta-feira (19) à noite, no auditório da Câmara Municipal, uma reunião aberta a toda a população de Pompeia que teve como objetivo dar transparência a crise pela qual passa a Santa Casa já há alguns anos e buscar soluções coletivas para o quadro preocupante. A reunião foi sugerida pela prefeita Tina Januário e convocada pela diretoria da Santa Casa, que apresentou um balanço detalhado das finanças da entidade preparado por uma assessoria contratada. A apresentação destacou a defasagem do valor repassado pelo governo federal por meio do teto SUS, congelado desde 2008, como principal causa para os déficits acumulados pela entidade nos últimos anos, em especial, de 2014 a 2016. Em 2017, a administração municipal já repassou R$ 2.161.684,60 para a Santa Casa e providenciou um empréstimo de cerca de R$ 800 mil para socorrer a entidade, o que mantém a situação estável, mas não soluciona o problema da dívida de longo prazo acumulada nos anos anteriores. 

Logo após a palavra foi aberta para que os presentes pudessem contribuir com sugestões de soluções para os problemas apresentados. A prefeita Tina Januário foi a primeira a se pronunciar, parabenizando a irmandade da Santa Casa, toda a diretoria e conselho pelo trabalho voluntário realizado em prol da saúde. A chefe do executivo municipal enfatizou a importância da Santa Casa e a necessidade de garantir a continuidade de seu pleno funcionamento. Segundo a prefeita, a solução passa pela conscientização da população e adequação da demanda pela Santa Casa, que deve se limitar a atendimentos de urgência e emergência. Para isso, Tina se comprometeu a garantir atendimento de qualidade e com agilidade nas USFs do município com médicos em todos os postos, diariamente, das 7h às 17h. A prefeita lembrou ainda a necessidade de empenho de todos os representantes da população em busca de recursos junto ao governo do estado, que no momento é quem melhor pode socorrer a Santa Casa.

A reunião prosseguiu com manifestações de cidadãos e de conselheiros da Santa Casa que lamentaram a defasagem dos repasses realizados pelo governo federal, reconheceram o empenho do governo municipal e reafirmaram a necessidade de se pensar em ações de curto, médio e longo prazo para a instituição, sinalizando apoio a ideia de adequação da demanda por meio de campanhas de conscientização e de empenho coordenado em busca de recursos estaduais. 

Quando assumiu em abril, o novo provedor Paulo César Garcia já apontava que problemas estruturais e uma dívida de R$ 2 milhões eram os principais desafios encontrados. Ele já afirmava que muitos fornecedores haviam deixado de vender para a Santa Casa devido a pagamentos que deixaram de ser realizados no passado.