Patroa nega socorro a funcionária que estava infartando em Marília

11/05/2018 - 14:00 hs

Empregada doméstica de 64 anos acusa a patroa, com quem trabalha há mais de uma década, de se recusar a prestar socorro enquanto ela sofria um princípio de infarto. “Vai de ônibus” ao hospital, teria dito a acusada. A casa onde a vítima trabalha fica no Acapulco zona oeste.

A vítima também disse que recebeu a sugestão da empregadora de pedir ajuda para suas filhas, que moram em Júlio Mesquita (distante 35 quilômetros de Marília), para ser socorrida.

Passando mal e com a negativa de ajuda da patroa, a empregada contou que saiu com dores no peito a pé e pegou um ônibus. Próximo do Terminal Urbano, onde faria baldeação para ir até o Hospital das Clínicas, a mulher desmaiou. 

O Samu a levou até o Pronto Atendimento da zona Sul e foi constatado que ela estava com princípio de infarto. No entanto, ela foi medicada e acabou liberada no final da tarde.