Mauricio Eirós apresenta: O jogo de 2 pênaltis e 3 tempos

Por Mauricio Eirós 22/06/2018 - 15:02 hs

O duelo entre Brasil e Costa Rica desta segunda rodada da fase de grupos da Copa do Mundo pode ser claramente dividido em três tempos totalmente distintos. O primeiro tempo, sem gols e com pouco futebol por parte das duas seleções, onde o Brasil teve apenas dois chutes ao gol e sem grandes sustos para o goleiro adversário. Um primeiro tempo muito fraco para um jogo de Copa do Mundo.

A Costa Rica teve uma oportunidade para abrir o placar, em um rápido contra-ataque que levou perigo ao gol brasileiro. E nada mais. Com um forte bloqueio da defesa rival, os jogadores de Tite sofreram para realizar jogadas de ataque no primeiro tempo, o que deixava o torcedor irritado e preocupado.

No segundo tempo, o time veio diferente, com Douglas Costa no lugar de William, o que deu mais vida ao ataque canarinho (que hoje atuou todo de azul). Com boas movimentações, o Brasil fez os cinco primeiros minutos terem mais emoção do que todo o primeiro tempo. Mas o gol ainda teimava em não sair e o relógio corria.

O lance mais polêmico do jogo foi o pênalti em Neymar, muito valorizado e gesticulado pelo brasileiro. O que fez o árbitro de vídeo ser acionado e o juiz voltar atrás em sua decisão. Ele havia marcado penalidade para o Brasil antes de rever o lance e observar a cena do atacante com os braços abertos e caindo ao solo, o que provocou revolta do jogador e do time brasileiro.

Não vi falta no lance e achei que para Neymar ficou barato sair sem cartão, o que acabou recebendo em um lance seguinte ao socar a bola, irritado. Se tomasse um amarelo antes, poderia ter sido expulso. Tudo parecia caminhar para o primeiro jogo desta Copa sem gols, num 0 a 0 que irritava os brasileiros e era extremamente agradável aos costa-riquenses.

Mas então aparece o terceiro tempo da partida, nos acréscimos de 6 minutos, quando foram marcados os dois gols da vitória, dando um pouco mais de tranquilidade para o Brasil. Mas ainda falta um futebol mais vistoso para a seleção, que novamente teve choro em campo, igual à Copa passada.

Ainda que houve outro pênalti não marcado pelo juiz, sobre o treinador Tite, derrubado escandalosamente na área técnica ao comemorar o primeiro gol.

E uma curiosidade. Os quatro primeiros colocados da Copa de 2014 estão sofrendo verdadeiros dramas nesta edição. A atual campeã, Alemanha, perdeu na estreia. A vice, Argentina, espera um milagre para seguir viva. O Brasil ainda deve futebol. Já a Holanda, sequer se classificou e vê a Copa pela televisão. Coisas do futebol que amamos.

Maurício Eirós
Portal NC