Jovem que 'casou' com 10 anos e era mantida em cárcere privado com os filhos vivia como escrava sexual em Marilia

Vítima de 18 anos contou que era agredida constantemente e obrigada a ter relações sexuais com o agressor. Rapaz está preso preventivamente em Marília (SP).

Por TV Tem Marilia/Bauru 13/09/2018 - 09:57 hs

A jovem de 18 anos que era mantida em cárcere privado pelo "marido" em Marília (SP), juntamente com os dois filhos, de 1 ano e sete meses e 2 anos, contou à polícia que os três eram agredidos constantemente e que ela era ameaçada e obrigada a manter relações sexuais com o agressor, Valdecir Júnior da Silva Bastos, de 25 anos, que está preso preventivamente.

O caso foi descoberto pela polícia na terça-feira (11), após uma denúncia anônima. Os policiais foram até o endereço na Vila Hípica e encontraram a jovem e as crianças trancadas na casa. Havia uma corrente no portão presa com cadeado, virado para o lado de fora.

Ela contou que saiu de casa com apenas 10 anos para viver junto com o rapaz, na época com 17, mas passou a sofrer agressões e privação da liberdade após o nascimento dos filhos.

A delegada conta ainda que a jovem pediu ajuda. “A vítima estava muito abalada, para ela essa era a única vida que ela conhecia há anos. Ela reconhece a dificuldade que era sair daquela situação, sendo que ela não tinha renda, e nem para onde ir com dois filhos pequenos, mas quando nós chegamos ali, ela disse que precisava sair dali e que não aguentava mais ser agredida”, completa a delegada.

Estupro de vulnerável
Ainda de acordo com a polícia, a vítima disse à polícia que "casou" com Valdecir há 8 anos, quando saiu de de casa aos 10 para viver com ele. Ela relatou à polícia que as duas famílias deram o consentimento para o "casamento".

A mãe da jovem também foi ouvida e disse não saber que a filha estava em situação de cárcere. Ela confirmou que a jovem saiu de casa para viver com o rapaz com apenas 10 anos e que as duas tinham pouco contato.
Segundo a delegada, foi aberto um inquérito para investigar a suspeita de estupro de vulnerável, por ela ter saído de casa ainda criança para morar com o agressor, na época com 17 anos.

“Tudo isso vai ser averiguado, até por conta da investigação de estupro de vulnerável e se tem envolvimento de outras pessoas que se omitiram e não denunciaram a situação. Nós só ficamos sabendo desse caso na terça-feira, antes disso não tínhamos nenhum registro dessa situação. Por isso, precisamos levantar quem convivia com a vítima quando ela tinha 10 anos e permitiu que essa situação acontecesse.”

O rapaz foi preso em flagrante por cárcere privado e maus-tratos e teve a prisão convertida em preventiva pela Justiça. A polícia entrou com um pedido de medida protetiva urgente para a jovem e os filhos, que foram acolhidos por familiares.