Juíza condena Lula a 12 anos e 11 meses de prisão em caso do sítio

Decisão da juíza federal Gabriela Hardt saiu na tarde desta quarta-feira (6). Ex-presidente foi condenado por corrupção passiva e lavagem de dinheiro

Por Ricardo Martins 06/02/2019 - 17:06 hs

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva foi condenado a 12 anos e 11 meses por corrupção passiva e lavagem de dinheiro na ação penal do sítio de Atibaia (SP). A decisão da juíza federal Gabriela Hardt saiu na tarde desta quarta-feira (6).

A Justiça entendeu que o petista recebeu R$ 1 milhão em propinas referentes à reforma do sítio, que está no nome de Fernando Bittar. A obra teria sido custeada pela Odebrecht e OAS, com dinheiro de contratos da Petrobras.

Prisão
Lula está preso desde o dia 7 de abril de 2018, após ser condenado em segunda instância a 12 anos e um mês de prisão pelos crimes de lavagem de dinheiro e corrupção passiva no caso do tríplex no Guarujá. O ex-presidente está na carceragem da PF (Polícia Federal, em Curitiba).

Denúncia
De acordo com a MPF (Ministério Público Federal), a Odebrecht, a OAS e também a empreiteira Schahin, com o pecuarista José Carlos Bumlai, amigo de Lula, gastaram R$ 1,02 milhão em obras de melhorias no sítio em troca de contratos com a Petrobras.

O imóvel foi comprado no final de 2010, quando Lula deixava a Presidência, e está registrado em nome de Fernando Bittar - filho do amigo e ex-prefeito petista de Campinas Jacó Bittar.

Outros processos
Lula também é réu em outras cinco ações penais derivadas das operações Lava Jato e Zelotes em Curitiba, Brasília e São Paulo.

Um dos processos já está em fase final. O ex-presidente é acusado de ter recebido propina de R$ 12,4 milhões da Odebrecht por meio de um terreno para o Instituto Lula e de um apartamento em São Bernardo do Campo (SP).