Em Marília, Moro fala sobre Lei de abuso de autoridade e pacote anticrime

20/08/2019 - 09:34 hs

O Ministro da Justiça e Segurança Pública, Sergio Moro, visitou Marília nesta segunda-feira (19) para compromisso oficial e palestra na Unimar. Moro chegou no aeroporto por volta de 16h30 e logo seguiu para a Prefeitura, onde visitou a Central de Videomonitoramento. Ele falou com a imprensa mas não respondeu perguntas.

A chegada na cidade foi antecipada em quase uma hora e antes de descer no aeroporto estadual de Marília, o ministro passou por Bauru (distante 110 quilômetros), onde já foi recebido pela comitiva do prefeito Daniel Alonso (PSDB).

Ele também visitou o gabinete do chefe do Executivo. No Paço Municipal foi montada estrutura para uma coletiva de imprensa, mas a equipe do Governo Federal afirmou que não seria aberta para perguntas.

O prefeito Daniel abriu a coletiva dizendo que era “uma honra para Marília, uma data histórica, receber o Ministro Sérgio Moro”.

“Todos nós sabemos do grande enfrentamento que Sérgio Moro vem fazendo nos últimos anos em combate às facções criminosas, em combate à corrupção e em combate ao crime de uma forma geral”, disse o prefeito.

Também falaram o deputado federal Capitão Augusto (PL), o senador Major Olímpio (PSL) e os deputados federais Cezinha de Madureira (PSD) e Coronel Tadeu (PSL).

O último a falar foi o ministro Sérgio Moro, que começou dizendo que está em uma pequena viagem para conhecer os sistemas de videomonitoramento. Moro explicou que parte do trabalho no Ministério da Justiça é conhecer esses locais, justamente para avaliar essas experiências e reproduzi-las em outras cidades do país.

“Infelizmente nós temos um país que ainda padece de uma crise fiscal, isso é conhecido por todos e os orçamentos e recursos são limitados. Claro que defendo na minha pasta que nós tenhamos um orçamento maior, isso é uma discussão não só interna dentro do governo, mas uma discussão também no Congresso. O presidente Jair Bolsonaro também sempre apoia essa política” disse.

Moro também comentou que assumiu um compromisso com o presidente Jair Bolsonaro no ano passado. “O propósito que eu já falei publicamente outras vezes era consolidar os avanços anticorrupção, evitar retrocessos, acho que isso é essencialmente importante. Nós também podemos avançar em relação a criminalidade violenta e o crime organizado”.

O ministro destacou que o país teve uma redução nos índices criminais desde o começo do ano e que isso antes não acontecia de forma tão significativa.

“E vamos colocar com registro, nós não tínhamos dados oficiais, começamos a ter a partir de março desse ano quando nós finalizamos o Sinesp, é um sistema que já vinha dos governos anteriores, mas nós finalizamos e agora nós podemos dizer com certa satisfação que temos estatísticas nacionais oficiais desde março. Essas estatísticas apontam uma redução da criminalidade em vários dos principais crimes”, afirmou o ministro.


Por 
 Daniela Casale/Marília Notícia