Suspeito de matar universitária tem passagens na polícia por estupro, roubo e extorsão

Segundo a polícia, Rodrigo Pereira Alves, de 37 anos, deixou a prisão há cerca de um mês. Mariana Bazza, de 19 anos, foi morta depois de sair da academia em Bariri (SP).

Por G1 Bauru e Marília 26/09/2019 - 10:12 hs

O homem de 37 anos que foi preso suspeito de matar a universitária Mariana Bazza, de 19 anos, em Bariri (SP), tem diversas passagens pela polícia, entre elas roubo e estupro, segundo informações da Secretaria de Administração Penitenciária e do delegado que investiga o caso.

Mariana desapareceu na manhã de terça-feira (24) ao sair de uma academia em Bariri (SP) e receber a ajuda de Rodrigo Pereira Alves para trocar o pneu do carro. Ela foi achada morta depois que o suspeito confessou que o corpo estava em uma área de canavial, na zona rural de Ibitinga.
O corpo de Mariana é velado no velório municipal de Bariri e o enterro está previsto para as 13h desta sexta-feira (26).

Segundo as investigações, Rodrigo havia saído da prisão há cerca de um mês e tem passagens por estupro, roubo, extorsão e constrangimento ilegal. Ele passou por uma audiência de custódia nesta quarta-feira (25) e teve a prisão preventiva decretada.

“Pelo o que a gente pode apurar na ficha dele, ele já respondeu por roubo, latrocínio tentado, extorsão e estupro. Nesse último caso ele diz que foi absolvido, mas consta na ficha dele. Também apuramos que ele deixou o sistema prisional há cerca de um mês”, afirma o delegado Durval Izar Neto.

Em nota, a SAP informou que Rodrigo cumpriu pena em regime semiaberto na Penitenciária de Ribeirão Preto entre abril e agosto deste ano, quando foi concedida a saída dele do sistema penitenciário para cumprimento do restante da pena em prisão domiciliar.

Ele cumpria pena de 7 anos, 11 meses e 27 dias por roubo e constrangimento ilegal. Ainda segundo a SAP, anteriormente ele cumpriu penas por estupro e extorsão, sendo liberado em novembro de 2014.