Suspeito de matar homem a facadas em Herculândia é preso em Lucélia

Segundo a Polícia Civil, suspeito confessou ter dado três facadas no homem de 56 anos na sexta-feira (11) porque ele estaria mantendo uma relação extraconjugal com a madrasta dele.

16/10/2019 - 17:18 hs

A Polícia Civil de Herculândia (SP) prendeu nesta terça-feira (15) o suspeito de ter matado a facadas Anísio dos Reis, de 56 anos, que foi achado morto em um bairro da cidade na última sexta-feira (11). Segundo a Polícia Civil, o motivo do crime foi passional.

Conforme o delegado Eduardo Saran, que comandou as investigações, o suspeito de ter assassinado Anísio teria cometido o crime após descobrir que seu pai estava sendo traído pela esposa, que é madrasta do suspeito, e estaria mantendo uma relação extraconjugal com a vítima.

"Logo após o encontro do corpo, a polícia chegou a prender ainda na sexta-feira um suspeito de ser o autor do crime que foi apontado por testemunhas. No entanto, após ouvir familiares de Anísio, chegamos à informação de que uma mulher estaria mantendo relação extraconjugal com o homem achado morto", afirma Saran.

A mulher foi localizada e confirmou que mantinha a relação com Anísio há cerca de dois anos e meio e que recentemente seu marido, com quem vivia há 20 anos e tinha com ele duas filhas, descobriu o caso através de mensagens no celular.

Segundo o delegado, o enteado dela, de 41 anos, também teve acesso às mensagens do celular, o que teria motivado o crime. Ainda de acordo com o delegado, alegando indignação pela traição da madrasta, o suspeito foi até Herculândia, atraiu Anísio para um loteamento e o matou com três facadas após uma discussão.

Ainda de acordo com o delegado, no dia do crime o suspeito ainda teria ligado para o pai dizendo que o "caso estava resolvido". O suspeito foi preso em Lucélia, cidade onde mora e que fica distante cerca de 70 km de Herculândia, e confessou o crime.

Com a prisão do homem que admitiu ter dado as facadas, o delegado Eduardo Saran pediu a revogação da prisão temporária do primeiro suspeito, que já foi solto. O homem de 41 anos teve a prisão temporária decretada por 30 dias e ficará preso na cadeia de São Pedro do Turvo.

Após a conclusão do inquérito, a Polícia Civil vai pedir à Justiça a conversão da prisão temporária em preventiva. O suspeito foi indiciado por homicídio duplamente qualificado - motivo fútil e por não dar chance de defesa à vítima.