Pompeia sobe 1708 posições no ranking do Índice FIRJAN de Gestão Fiscal

Governo Municipal alcançou o conceito “Boa Gestão”, que não era obtido desde 2013. Nota do Município vem aumentando desde 2017 e já é 42% melhor que a de 2016

04/11/2019 - 15:25 hs

A administração da prefeita Tina Januário alcançou o conceito de “Boa Gestão” na avaliação divulgada pelo último Índice FIRJAN de Gestão Fiscal, divulgado recentemente, com dados de 2018. Pelo segundo ano consecutivo o governo municipal consegue melhorar a nota de Pompeia, alcançando o índice geral 0,62, o maior obtido nos últimos 6 anos. Com isso, a gestão municipal subiu mais de 1700 posições no ranking nacional. Ocupava a colocação 2.920 em 2016, último ano da administração do ex-prefeito Oscar Yasuda, e ocupa agora a posição 1.212. Mais de 5,3 mil municípios de todo o país são analisados e compõem o ranking.

O Índice FIRJAN de Gestão Fiscal (IFGF) é um estudo anual construído com base em dados oficiais declarados à Secretaria do Tesouro Nacional e é composto por quatro indicadores: autonomia, gastos com pessoal, investimentos e liquidez. O estudo examina como os tributos pagos pela sociedade são administrados pelas prefeituras e apresenta um panorama completo da situação das contas públicas dos municípios avaliados. 

A leitura dos resultados é simples: a pontuação varia entre zero e um, sendo que quanto mais próxima de um, melhor a gestão fiscal do município. Em 2016, o Índice alcançado pela administração municipal foi de 0,4381 e o conceito atribuído pela publicação à gestão do ex-prefeito Oscar Yasuda era o de “Gestão em Dificuldade”. Com o índice de 0,62 conquistado pela gestão Tina Januário em 2018, nota 42% melhor que a de 2016, Pompeia voltou à faixa das cidades que obtiveram o conceito de “Boa Gestão”, que não era alcançado desde 2013.