Mônica de Oriente e Pirambóia se reúnem com diretor da CDHU para tratar sobre possível área para novas casas populares

Em julho, Mônica havia solicitado a construção de casas populares para Oriente e já iniciou as conversas sobre as documentações necessárias e possível área destinada para uma futura construção

Por Redação 14/10/2020 - 15:47 hs

A candidata a prefeita Mônica de Oriente e o candidato a vice-prefeito Pirambóia se reuniram neste final de semana com o diretor de atendimento da CDHU (Companhia de Desenvolvimento Habitacional e Urbano), Marcelo Hercolin, para dar sequência nas tratativas para a construção de novas moradias populares, além da regularização de habitações já existentes. 

Em julho, Mônica esteve na sede regional da CDHU solicitando a construção de casas populares para Oriente. Na oportunidade, deu início as conversas sobre a possível área destinada para uma futura construção das moradias, além das documentações necessárias. 

“O déficit habitacional na nossa Oriente é muito alto e hoje observamos diversas famílias com suas rendas comprometidas, pois o valor do aluguel gira em torno de 700 reais por mês. O sonho de muitos orientenses é ter a sua casa própria e nós vamos buscar investimentos para a construção de habitações populares”, comentou a candidata a prefeita Mônica. 

Há muitos anos Oriente não recebe um investimento habitacional da CDHU. Enquanto a demanda da população por moradia continuou crescendo, a oferta de casas populares, seja por meio de parcerias com construtoras privadas ou órgãos públicos, não acompanhou essa necessidade do povo.

“Eu vejo com muita alegria a preocupação da Mônica em levar habitação para a população que mais precisa. É o olhar atento, o olhar carinhoso da mulher para com as pessoas que precisam da mão amiga do estado, com o apoio do município para conseguir realizar o sonho da casa própria. A Mônica esteve aqui conosco, na nossa regional, buscando informações, buscando conhecer de perto o funcionamento.

É um trabalho sério, uma demonstração de carinho e amor por toda a população. Para fazer política tem que gostar de gente, gostar das pessoas, e isso nós percebemos que a Mônica tem de sobra”, disse Marcelo Hercolin, Diretor de Atendimento da CDHU.