Seja bem vindo
Pompéia,06/07/2022

  • A +
  • A -
Publicidade

Ciclo de capacitação profissional começa na Santa Casa de Pompeia


Ciclo de capacitação profissional começa na Santa Casa de Pompeia





Funcionários da Santa Casa de Pompeia iniciaram esta semana um ciclo de capacitação profissional que o hospital desenvolverá nos próximos meses, começando com os enfermeiros que orientados pela médica Raquel Contente, nova integrante da equipe médica do hospital, receberam uma série de instruções sobre “Protocolo de Triagem”, que muito ajudará nas atividades protocolares da instituição. “A proposta é trazer para o nosso hospital esse tipo de capacitação em diversas áreas”, disse o provedor da Santa Casa de Pompeia, Alair Mendes Fragoso, que busca adotar no hospital comportamentos internos e externos elevados para uma melhor agilidade, economia e satisfação de atendimento. “Não é só equipamento que requer investimento”, falou. “Precisamos capacitar, sempre o nosso pessoal”, planeja.

De acordo com esta primeira etapa do ciclo de capacitação profissional, os enfermeiros receberam instrução sobre a classificação de riscos, através de definição de cores como: azul, verde, amarelo, laranja e vermelho que demonstram o grau de importância de caso a caso. “Isto irá melhorar as performances nas áreas de medicamentos, administração e acomodação entre os pacientes do hospital”, disse a médica Raquel Contente que está a frente deste ciclo de capacitação profissional. “Com base nesta classificação será possível vislumbrar se o atendimento será feito num Posto de Saúde, num Pronto Atendimento ou na própria Santa Casa”, completou Alair Mendes Fragoso entusiasmado com este programa.

Segundo o provedor da Santa Casa de Pompeia a atuação dos enfermeiros na classificação de risco no serviço de urgência e emergência, constitui-se de conhecimentos teórico e práticos envolvendo as políticas públicas e a composição do ambiente do trabalho, relacionado a preocupação com acolhimento dos pacientes e a humanização assistencial. “Todos ganham com isso”, garante Raquel Contente ao se reunir com os enfermeiros de Pompeia e conversar a respeito. “O papel do enfermeiro na unidade de emergência consiste em obter a história do paciente, fazer exame físico, executar tratamento, aconselhando e ensinando a manutenção da saúde e orientando os enfermos para uma continuidade do tratamento e medidas vitais", completou Alair Mendes Fragoso.

Os objetivos do acolhimento com classificação de risco são: avaliar o paciente logo na chegada ao pronto-socorro, humanizando o atendimento; descongestionar o pronto-socorro; reduzir o tempo para o atendimento médico, fazendo com que o paciente seja visto precocemente de acordo com a sua gravidade; determinar a área de atendimento primário, devendo o paciente ser encaminhado diretamente às especialidades, conforme protocolo existente. “Cabe, então, ao profissional do serviço de emergência, embasado em dados clínicos, em informações objetivas, subjetivas e experiência, avaliar qual paciente necessita de atendimento imediato e qual pode esperar”, reforçou o provedor ao elogiar a iniciativa dos funcionários. “O processo de acolhimento com classificação de risco será sempre realizado por profissional de saúde, de nível superior, mediante treinamento específico e utilização de protocolos pré-estabelecidos e tem por objetivo avaliar o grau das queixas dos pacientes, colocando-os em ordem de prioridade para o atendimento”, resumiu o dirigente animado com o ciclo de capacitação criado no hospital. “Uma atividade constante e permanente”, disse.





COMENTÁRIOS

Buscar

Alterar Local

Anuncie Aqui

Escolha abaixo onde deseja anunciar.

Efetue o Login